AUTORES

Junho 26 2016

SABEDORIA

 

                           Quem não sabe e sabe que não sabe, é humilde.  

                           Ensina-o.

                           Quem sabe e não sabe que sabe, está dormindo.

                           Acorda-o

                          Quem sabe e sabe que sabe, é um sábio.

                           Segue-o

                                                                               Provérbio árabe

 

Quem tomar muito à letra o provérbio, pode, ao menos por exclusão de partes, considerar que se situa na última categoria.

Porém, o que é a sabedoria? Como se adquire?

Querer ter sabedoria já é ter um pouco de sabedoria, mas é preciso subir mais alguns degraus para verdadeiramente se ter sabedoria. O único a ter Sabedoria em pleno, que é a própria Sabedoria, a fonte da Sabedoria, é Deus, e querer ter sabedoria é um tanto ousado por se querer aproximar muito de Deus. Mas se Deus nos disse “sede perfeitos como vosso Pai do Céu é perfeito”, então também nos convida a adquirir Sabedoria, porque será difícil lutar pela perfeição, se não houver sabedoria.

Ter sabedoria é procurar ser diligente e prudente para bem resolvermos os problemas da vida e bem lidarmos com as pessoas e com as coisas, para não nos termos de arrepender ou de nos censurar perante maus resultados; ter sabedoria é proceder segundo a consciência, depois de ter a sabedoria de a instruir e educar, para que ela não congemine teorias e opiniões subordinadas ao “politicamente correcto”, segundo o nosso lucro e conveniência, ou ao que é socialmente distinto, segundo a nossa vaidade ou prestígio.

A sabedoria é uma inteligência que dispensa memória, e é uma arte de viver que dispensa a facúndia de Calíope e o enciclopedismo de Latim e Filosofia ou de Física e Astronomia. A sabedoria nasce da Sabedoria e passa a ser a sua própria consequência, pelo que desde

logo irriga a consciência de sãos princípios, a informa das virtudes e lhe concede um perfeito discernimento, para evitar o que lhe é contrário. Passa a ser ciência infusa, que promana da fonte divina, que concedeu a Salomão a grande e verdadeira Sabedoria, de que a nossa sabedoria, se a tivermos, deseja ter nem que seja uma pequena parte.

Ter sabedoria é saber mais do que a escola ensinou, é saber mais que Sócrates, que sabia apenas que nada sabia. Nestes tempos neotestamentários, para termos sabedoria é preciso saber e sentir que, perante quem concede a sabedoria, nada sabemos, nada valemos, nada podemos, nada merecemos. Desta sabedoria, nasce a sabedoria, que existe sem se sentir a si própria, de vivermos com fé, amor e alegria, aguardando serenamente a hora em que a morte de todos a todos e a Ele nos una.

laurindo.barbosa@gmail.com

 

publicado por Fri-luso às 15:28

Laurentino Sabrosa
Image Hosted by ImageShack.us
Europa
Europa
pesquisar